Biologia das Espécies Cinegéticas

XXVIth INTERNATIONAL CONGRESS OF THE

 INTERNATIONAL UNION OF GAME BIOLOGISTS AND

Xth INTERNATIONAL PERDIX SYMPOSIUM

 

O Dr. Carlos Fonseca, Assistente Convidado deste Departamento, esteve envolvido na organização destes dois importantes congressos internacionais sobre a Biologia de Espécies Cinegéticas que, pela segunda vez, tiveram lugar no nosso país, desta vez na cidade de Braga, entre 1 a 6 de Setembro. 

Estes dois eventos contaram com a participação de cerca de 350 congressistas ligados às várias áreas da Cinegética, provenientes de mais de quatro dezenas de países.  

 

Para além de co-autor com o Dr. Luís Souto e Eduardo Ferreira de uma comunicação oral intitulada Microsatellite polymorphisms: A study on Portuguese Wild Boar Populations, o Dr. Carlos Fonseca foi um dos 22 subscritores dos estatutos da “International Union of Game Biologistas - IUGB”, que servirão de base para o registo desta organização, pelo delegado cipriota, Eleftherios Hadjisterkotis. 

De referir que, apesar da IUGB ter já 52 anos de existência, só agora foi possível assinar os seus estatutos, facto pelo qual a organização deste congresso se deve orgulhar. O seu principal promotor, o Departamento de Biologia da Universidade do Minho, através do Dr. José Vingada, tem vindo a colaborar com o DBUA em projectos de Gestão e Ordenamento de Espécies protegidas e cinegéticas e dos seus habitats, bem como na organização de eventos, cursos de gestão de vida silvestre, etc.

 

I CONGRESSO PORTUGUÊS DE FAUNA SELVAGEM

 

Organizado pela WAVES-Portugal, teve lugar na UTAD, Vila Real, entre os dias 5 e 8 de Novembro, o I Congresso Português de Fauna Silvestre, que contou com a presença de alguns especialistas nacionais e internacionais em espécies selvagens. O Dr. Carlos Fonseca, foi convidado pela organização a proferir uma palestra intitulada “Aspectos sobre a Gestão do Javali (Sus scrofa L.) em Portugal” na qual focou os aspectos mais relevantes relacionados com a ecologia desta espécies no nosso país e a sua aplicação a uma gestão mais racional e sustentada. Esta comunicação, com a duração de 45 minutos, foi alvo de uma vasta discussão por parte dos congressistas, nomeadamente de gestores de caça, representantes de entidades públicas ligadas à caça (DRATMAD e ICN), estudantes de Biologia e Ciências Florestais, investigadores e professores universitários.

OBSERVATÓRIO NACIONAL DA CAÇA

A convite do Secretário de Estado do Desenvolvimento Rural, Prof. Dr. Fernando António Bianchi de Aguiar, e na sequência da anormal incidência de incêndios florestais ocorrida no nosso país no presente ano, o Dr. Carlos Fonseca, Assistente Convidado deste Departamento, participou, no dia 12 de Setembro, na 1ª reunião do Observatório Nacional da Caça. Este Observatório, criado especialmente para a avaliação e discussão de medidas a adoptar para uma gestão cinegética mais sustentada, e constituído por várias organizações nacionais ligadas ao sector, sugeriu a interdição da caça nas freguesias com elevada percentagem de área ardida e numa faixa envolvente de 1000 metros de largura. No entanto, e com base num relatório apresentado pelo Dr. Carlos Fonseca, na qualidade de representante da investigação em Caça Maior a nível nacional, determinou-se o levantamento da interdição da caça na faixa envolvente às espécies de Caça maior, aves aquáticas e migradoras de Inverno.

As várias medidas tomadas nesta primeira reunião do Observatório Nacional da Caça, levaram a alterações no Calendário Venatório para a época 2003/2004, traduzidas na Portaria n.º 1163/2003 de 2 de Outubro